EQUILÍBRIO
Governador defende isolamento social com retomada segura de atividades econômicas
“Nosso objetivo número um é a preservação da vida. O apelo do Estado ainda é para que as pessoas ainda fiquem em casa. A ordem continua pelo isolamento social", diz Carlos Moisés
por Secom / Governo de SC 28/03/2020 às 06:02

O governador Carlos Moisés defendeu o equilíbrio no combate ao coronavírus durante a retomada gradual de setores econômicos a partir da próxima semana em Santa Catarina. Segundo o governador, que concedeu entrevista coletiva online nesta sexta-feira, 27, trata-se de um “plano de convívio seguro” com o vírus.

Carlos Moisés afirmou que existe a necessidade de se manter o isolamento social nesta primeira quinzena após a decretação da situação de emergência. Ainda segundo o chefe do Executivo estadual, novos casos de Covid-19 serão inevitáveis, porém as medidas de restrição do convívio social são importantes para evitar a multiplicação dos pacientes de maneira descontrolada.

“Nosso objetivo número um é a preservação da vida. O apelo do Estado ainda é para que as pessoas ainda fiquem em casa. A ordem continua pelo isolamento social. O que nós conseguimos fazer com medidas de segurança sanitária é retardar esse contágio em massa para que nós ganhemos tempo para nos prepararmos para enfrentar a pandemia”, afirmou Carlos Moisés.

>>Tire suas dúvidas sobre as medidas restritivas e as ações de combate e prevenção à Covid-19

Segundo ele, as atividades que serão liberadas na próxima semana ainda permitem o isolamento. Ele pediu a colaboração da população e disse que apenas quem realmente precisa deve sair de casa.

“Acreditamos que no dia 1º de abril nós teremos uma visão um pouco mais realista da curva (de novos infectados) em Santa Catarina”, complementou.

O governador também destacou que teve uma reunião nesta sexta-feira com os prefeitos dos 15 maiores municípios de Santa Catarina para alinhar as ações de enfrentamento ao combate ao coronavírus no estado. No encontro, também estiveram presentes o presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Saulo Sperotto, o chefe da Casa Civil, Douglas Borba e os secretários de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, e da Fazenda, Paulo Eli.

Foto: Cristiano Estrela / Secom

Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados