SAÚDE
Repasses federais destinados a Santa Catarina poderão cair 40% em 2020
O percentual, segundo os parlamentares, é o maior entre os estados do Sul do país, equivalendo a mais de R$ 700 milhões
por Assessoria de Imprensa Alesc 20/09/2019 às 05:36

Caso a proposta orçamentária do governo federal para 2020 seja aprovada sem alterações, os repasses para Santa Catarina na área da saúde serão reduzidos em 40%, colocando em risco a manutenção do atendimento médico e hospitalar prestado à população. O alerta partiu dos deputados Paulinha (PDT) e José Milton Scheffer (PP) durante a sessão plenária da manhã desta quinta-feira (19).

Conforme os parlamentares, tendo em vista a necessidade de ajustes no orçamento, o governo federal planeja reduzir em 40% as verbas destinadas para o estado na área da saúde. O percentual, segundo disseram, é o maior entre os estados do Sul do país, equivalendo a mais de R$ 700 milhões.

“O nosso estado não suporta esta retração, vamos colapsar”, disse Paulinha na ocasião. “A saúde de Santa Catarina não fica em pé se orçamento federal for votado nas condições que está hoje”, acrescentou Scheffer.

Eles também uniram os discursos em favor de uma mobilização das lideranças políticas do estado que busque alterar a redação do orçamento federal para o próximo ano. “O nosso esforço é inglório, pois é esta é uma pauta federal, mas sou uma voz a mais para fazer com que essa correção seja feita antes da aprovação do orçamento”, disse Paulinha.

“Não podemos voltar atrás. Santa Catarina paga todos os anos bilhões de impostos e não podemos aceitar esta redução. Temos que nos unir, todos, para mudar essa peça orçamentária”, defendeu Scheffer.

Nova ala do Marieta Konder Bornhausen

Ainda em seu pronunciamento, Paulinha discorreu sobre as tratativas com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para a liberação dos recursos necessários para a ativação da nova ala do Hospital Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí, estrutura de 15 andares, que deve contar com 300 novos leitos.

Na oportunidade, disse a deputada, o ministro anunciou um planejamento de desembolso dos R$ 78 milhões demandados, bem como sobre a regionalização da saúde e premiação por desempenho. “Essa é a boa notícia que tenho hoje. A conversa frutificou, caminhou, e temos opções de diálogo estabelecidos com consistência com o governo federal.”

Moralização da imprensa

Dr. Vicente Caropreso (PSDB) destacou o compromisso firmado pela Associação Catarinense das Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), que reúne 258 rádios e 23 emissoras de TV, em defesa da liberdade de imprensa, da precisão jornalística, e pela aproximação com o Parlamento catarinense.

A iniciativa, argumentou o deputado, torna-se ainda mais importante em um momento em que as campanhas e divulgações de atos de entes políticos ficam em risco diante da divulgação de notícias falsas.

“Que bom que a Acaert se soma a um esforço de moralização da imprensa, fazendo que ela se torne cada vez mais livre, mais decente e mais presente, principalmente aqui no Poder Legislativo, que é o órgão que mais reverbera as posições políticas no estado.”

FOTO: Solon Soares/Agência AL

Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados